02 Brasil Estudos de História Econômica, Social e Política

02 BRASIL.  ESTUDOS DE HISTÓRIA ECONÔMICA, SOCIAL  E POLÍTICA , Prof. Dr. Darcy Carvalho, São Paulo, SP, Brasil .

Contents: 01, 02, 03

1=  FORMAÇÃO ECONÔMICA E SOCIAL DO BRASIL  I  (1500-1900). TÓPICOS E BIBLIOGRAFIA.

USP. FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO. CURSO DE ECONOMIA .

Explicitação dos elementos básicos da formação socioeconômica brasileira, desde o início da colonização até o final do Império. Discução do processo de colonização do território brasileiro a luz da expansão marítima européia, particularmente portuguesa. Contemplar também as transformações da colônia e as transições ocorridas durante o Império. Abarcar as diferentes interpretações da historiografia, de modo a possibilitar a confrontação de visões acerca da formação econômica do país e suas conseqüências sobre o atual estágio de desenvolvimento brasileiro.   Interpretação do processo histórico de formação da economia brasileira nos períodos colonial e imperial. Comparação das diferentes interpretações acerca da dinâmica socio-econômica colonial e escravista. Interpretação das especificidades do caso luso-brasileiro dentro do contexto colonial moderno. Análise do desenvolvimento da economia açucareira e mineradora. Compreensão do processo de independência e a formação da economia nacional escravista e agro-exportadora no período imperial. Entendimento da economia brasileira no período imperial. Comparação das interpretações acerca das transformações ocorridas no período imperial. Análise da transição do trabalho escravo para o trabalho livre.   

TÓPICOS  PARA O ESTUDO HISTÓRICO DO BRASIL , NOS PRIMEIROS QUATRO SÉCULOS, DO INICIO DA COLONIZAÇÃO AO FINAL  DO SEGUNDO  IMPÉRIO.

 1. A expansão marítima européia e o sistema colonial; 2. A colonização da América Portuguesa : A formação do estado português  e a expansão ultramarina; 3. O sentido da colonização brasileira; 4. Elementos estruturais do Brasil colonial: a grande lavoura e o  regime de produção escravista;  5. O funcionamento da economia açucareira nordestina  nos séculos XVI e XVII: capitalização e financiamento,  fluxos de renda e dinâmica de crescimento, estrutura social e integração com outras atividades; a crise da economia açucareira e o Complexo Nordestino;  6. A economia da mineração do século XVIII: a administração colonial, financiamento e fluxos monetários, estrutura social e integração com outras atividades ,  a crise da economia aurífera;  7. O trabalho na colônia; 8. A crise do antigo sistema colonial e a independência brasileira: a vinda da família real portuguesa e a crise do antigo regime,   reativação da economia agroexportadora,  a gestação da economia cafeeira e suas características; os ciclos do café e a política econômica no segundo reinado; transformações econômicas durante o império;  10. a plantation exportadora:  sociedade imperial e o clientelismo,  lei de terras e código comercial, o centralismo monarquico e as lutas federativas; 11. A transição para o regime de trabalho livre:  abolição da trafico negreiro e  imigração, a abolição da escravidão e as diferentes transições;  12. As diferentes correntes interpretativas da colonização brasileira

 BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

HOLANDA, Sérgio B. (dir.) Historia Geral da Civilização Brasileira 2 (Tomo I , volume 2). São Paulo: Bertrand Brasil, 1993.

 HOLANDA, Sérgio B. (dir.) Historia Geral da Civilização Brasileira 6 (Tomo II, volume 4). São Paulo: Bertrand Brasil, 1995.

CARVALHO, José Murilo. Teatro de Sombras: a política imperial. São Paulo: Vértice; Rio de Janeiro: IUPERJ, 1988.

COSTA, Emilia Viotti da Introdução ao Estudo da emancipação política do Brasil In: MOTA, C.G. (org.) Brasil em Perspectiva. São Paulo: DIFEL, 1981.

DELFIM NETTO, Antonio. O Problema do Café no Brasil. São Paulo: IPE/USP, 1981

FAORO, Raimundo. Os Donos do Poder. São Paulo: Globo, 1991.

FRAGOSO, João L.R. Homens de Grossa Aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro (1790-1830). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992.

FURTADO, Celso. Formação Econômica do Brasil. 17ª ed. São Paulo: Nacional, 1980. (FEARP 33(81)(091)^F992f18).

GODINHO, Vitorino de Magalhães. A Economia dos Descobrimentos Henriquinos. Lisboa: Sá da Costa, 1962.

GODINHO, Vitorino de Magalhães. Portugal, as frotas do açúcar e as frotas do ouro (1670-1770). Estudos Econômicos. n.13 (nº especial), p. 719-32, 1983.

GRAHAM, Richard. Clientelismo e Política no Brasil do século XIX Rio de Janeiro: UFRJ, 1997

GRAHAM, Richard. Construindo uma nação no Brasil do século XIX: Visões novas e antigas sobre classe, cultura e estado. Diálogos, v. 5, 2001.

http://www.dhi.uem.br/publicacoesdhi/dialogos/volume01/vol5_mesa1.html

GREMAUD, Amaury P.; SAES, Flávio A. M. & TONETTO Jr., Rudinei. Formação Econômica do Brasil. São Paulo: Atlas, 1997.

GORENDER, Jacob. O Escravismo Colonial. 4ª ed. São Paulo: Ática,1985.

LINHARES, Maria Yeda. (org.) História Geral do Brasil: da colonização portuguesa à modernização autoritária. Rio de Janeiro: Campus, 1990.

NOVAIS, Fernando A. Portugal e Brasil na Crise do Antigo Sistema Colonial. São Paulo: HUCITEC, 1979.

NOVAIS, Fernando A. “Colonização e sistema colonial: discussão de conceitos e perspectivas históricas. In: Colonização e Imigração. IV Simpósio Nacional da ANPUH. São Paulo: FFLCH/USP, 1969.

PRADO Jr., Caio. Evolução política do Brasil e outros estudos. São Paulo: Brasiliense, 1953.

PRADO Jr., Caio. Formação do Brasil Contemporâneo (Colônia.) 14ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.( FEARP 981.021^P896f)

SAES, Flávio Azevedo Marques de. O término do escravismo: uma nota sobre a historiografia. Estudos Econômicos. v. 12, n. 3, p. 29-40, set./dez. 1982.

 BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

A Clássicos de interpretação da formação socio-econômica brasileira

ABREU, Capistrano de Capítulos da História Colonial. 3ª ed. Briguiet, 1934

FAORO, Raimundo. Os Donos do Poder. São Paulo: Globo, 1991.

FERNANDES, F. A Revolução Burguesa no Brasil. 3ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.

FREIRE, Gilberto. Casa Grande e Senzala. 29ª ed. Rio de Janeiro : Record, 1994.

FURTADO, Celso. Formação Econômica do Brasil. 17ª ed. São Paulo: Nacional, 1980.

GORENDER, Jacob. O Escravismo Colonial. 4ª ed. São Paulo: Ática, 1985.

HOLLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 19ª ed.Rio de Janeiro: José Olympio, 1987.

HOLLANDA, Sérgio Buarque de. Visões do Paraíso. 2ª ed. São Paulo: Nacional, 1969.

PRADO, Paulo Retrato do Brasil. 8ª ed. São Paulo: Companhia das Letras, 1998.

PRADO Jr., Caio. Evolução Política do Brasil e outros estudos. São Paulo: Brasiliense, 1953

PRADO Jr., Caio. Formação do Brasil Contemporâneo (Colônia). 14ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1981.

PRADO Jr., Caio. História Econômica do Brasil. 20ª ed. São Paulo: Brasiliense, 1977

SIMONSEN, Roberto. História Econômica do Brasil. São Paulo: Nacional, 1978

SODRÉ, Nelson Werneck. História da Burguesia Brasileira. 4ª ed. Petrópolis: Vozes, 1983

VARNHAGEN, F. A. História Geral do Brasil. 7ª ed, São Paulo: Melhoramentos, 1962

VIANNA, Oliveira. Instituições Políticas Brasileiras. Belo Horizonte: Itatiaia, São Paulo: EDUSP, Niterói: Ed da UFF, 1987.

B – OBRAS GERAIS DE REFERÊNCIA

BETHELL, Leslie (org). História da América Latina – América Latina Colonial. São Paulo: EDUSP, Brasília: FUNAG, 1997.

BOSI, Alfredo. A Dialética da Colonização. São Paulo: Cia das Letras, 1993

BUESCU, M. História Econômica do Brasil: pesquisas e análises. Rio de Janeiro: APEC, 1970

CARDOSO, C.F.; BRIGNOLI, Hector Perez. História Econômica da América Latina: Sistemas agrários e história colonial. Rio de Janeiro: Graal, 1983.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. 2ª ed. São Paulo: EDUSP/FDE, 1995 (Didática n.º 1)

HOLANDA, Sérgio B. (dir.) História Geral da Civilização Brasileira. São Paulo: São Paulo: Bertrand Brasil, 1993.

IGLESIAS, F. Trajetória Política do Brasil: 1500-1964. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

LAPA, J. A. Modos de Produção e Realidade Brasileira. Petropolis: Vozes, 1980

LIMA, H.F. História Política–Econômica do Brasil e Industrial do Brasil. Rio de Janeiro: Nacional, 1959

LEVY, M. Barbara. História Financeira do Brasil Colonial. Rio de Janeiro: IBMEC,1989.

MOTA, C.G. (org.) Brasil em Perspectiva. São Paulo: DIFEL, 1981.

NEUHAUS, P. (org.) Economia Brasileira: uma visão histórica. Rio de Janeiro: Campus, 1980.

NOVAIS, Fernando (dir.) História da Vida Privada no Brasil. São Paulo: Cia das Letras, 1997.

PAIM, A. Momentos Decisivos da História do Brasil. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

SENA, J.J. Os Parceiros do Rei: herança cultural e desenvolvimento econômico no Brasil. Rio de Janeiro: Topbooks, 1995.

VAINFAS, Ronaldo (dir.) Dicionário do Brasil Colonial (1500-1808). Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

WEHLING, A. & WEHLIG, M. Formação do Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1994.

C –  OUTRAS  OBRAS HISTÓRICAS RELATIVAS AO PERÍODO

ANTONIL, A. J. Cultura e Opulência do Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, São Paulo: EDUSP, 1982.

CARREIRA, L. de C. Historia Financeira e Orçamentaria do Império do Brazil. Rio de Janeiro: Casa de Rui Barbosa, 1980.

CALÓGERAS, J. Pandiá. A Política Monetária do Brasil. São Paulo: Nacional.1960

CALÓGERAS, J. Pandia. Formação Histórica do Brasil. 8ª ed. São Paulo: Nacional, 1988.

CAVALCANTI, Amaro. O Meio Circulante Nacional (1808 - 1835). Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1983.

DAVATZ, T. Memórias de um Colono no Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, São Paulo: EDUSP, 1980.

GANDAVO, Pero de Magalhães. Tratado da Terra do Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, São Paulo: EDUSP, 1980.

MAUA, Visconde de. Autobiografia (Exposição aos credores). Rio de Janeiro: Topbooks, 1998

NABUCO, Joaquim. Um Estadista do Império. 5ª ed. Rio de Janeiro: Topbooks, 1997

NABUCO, Joaquim. O Abolicionismo. 4ª ed.Petrópolis: Vozes, 1977.

OLIVEIRA, José Alcantra Machado. Vida e morte Bandeirante. 2ª ed. São Paulo: Ed. Revista dos Trunais, 1930.

PITA, Rocha. História da América Portuguesa. Belo Horizonte: Itatiaia, São Paulo: EDUSP, 1976.

VIEIRA, A. Sermões. Porto: Lello e Irmões, 1959

D – OBRAS ESPECÍFICAS

D.1. As diferentes correntes interpretativas da colonização brasileira

CANABRAVA, Alice P. Área de História. In: Anais do Encontro Nacional de Estudos Brasileiros. Vol. 2. São Paulo: IEB/USP, 1972

IGLESIAS, F. Situação da História Econômica no Brasil In: Anais de História. Ano II. Assis: FFLC, 1970.

MOTA, Lourenço Dantas (org.) Introdução ao Brasil. São Paulo: Ed. SENAC, 1999.

REIS, J. C. As Identidades do Brasil: de Varnhagem a FHC Rio de Janeiro: Ed. FGV, 1999.

RODRIGUES, José Honório. História da História do Brasil. 2ª ed. São Paulo: Ed. Nacional, Brasília: INL, 1988.

RODRIGUES, José Honório. Teoria da História do Brasil. 5ª ed. São Paulo: Ed. Nacional, Brasília: INL, 1988.

D.2. A dinâmica do mundo colonial moderno

CARDOSO, C. As concepções acerca do sistema econômico mundial e do antigo sistema Colonial In: LAPA, J.A. Modos de Produção e Realidade Brasileira. Petropólis: Vozes, 1980.

DEYON, Pierre, O Mercantilismo. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1985.

MINTZ, Sidney W. O poder amargo do açúcar: produtores escravizados, consumidores proletarizados. Recife: UFPE, 2003.

NOVAIS, Fernando A. Portugal e Brasil na Crise do Antigo Sistema Colonial. São Paulo: HUCITEC, 1979.

NOVAIS, Fernando A. Colonização e sistema colonial: discussão de conceitos e perspectivas históricas. In: Colonização e Imigração. IV Simpósio Nacional da ANPUH. São Paulo: FFLCH/USP, 1969.

WILLIAMS, Eric. Capitalismo e Escravidão. Rio de Janeiro: Americana, 1975.

D.3. AS ESPECIFICIDADES DO CASO PORTUGUÊS

ALEXANDRE, Valentim. Os sentidos do Império: questão nacional e questão colonial na crise do antigo regime português. Porto: Afrontamento, 1993.

AZEVEDO, João Lúcio de. Épocas de Portugal Econômico. Lisboa: Clássica, 1947.

BOXER, Charles R. O Império Colonial Português. Lisboa: Edições 70, 1969.

DIAS, Manuel Nunes. O descobrimento do Brasil: subsídio para o estudo da integração do Atlântico Sul. São Paulo: Edusp/Pioneira, 1967.

GODINHO, Vitorino M. A Expansão Quatrocentista Portuguesa. Lisboa: Contemporânea, 1944.

GODINHO, Vitorino M. Os Descobrimentos e a Economia Mundial. 2ª ed. Lisboa: Presença, 1981.

MATTOSO, Jorge. Identificação de um País: ensaio sobre as origens de Portugal. 2ª ed. Lisboa: Estampa, 1985.

RUSSEL-WOOD, J. A World on the move, the portuguese in Africa, Asia e América (1415 - 1808). New York: St Martin’s Press, 1992

SERGIO, Antônio. Breve Introdução à História de Portugal. 7ª ed. Lisboa: Sá da Costa, 1977.

D.4. O sentido da colonização brasileira e as razões do sucesso - a visão exportacionista

BIELSCHOWSKI, Ricardo. Formação econômica do Brasil: uma obra do estruturalismo cepalino. Revista de Economia Política. n.º 9 (4), out./dez. 1989.

COSTA, Iraci del Nero da. Repensando o modelo interpretativo de Caio Prado Júnior. In: Cadernos NEHD n.º 3. São Paulo: FEA-USP, 1995.

D’INCAO, Maria Angela. (org.) História e Ideal: ensaios sobre Caio Prado Júnior. São Paulo: UNESP/SEC/Brasiliense, 1989.

IGLESIAS, F. Introdução: um historiador revolucionário. In: PRADO Jr., C. Caio Prado Junior: História. São Paulo: Ática, 1982.

MANTEGA, G. Celso Furtado e o pensamento econômico brasileiro. Revista de Economia Política. N.º 9 (4), out./dez. 1989

OLIVEIRA, Francisco de. Introdução: a navegação venturosa. In: FURTADO, C. Celso Furtado: Economia. São Paulo: Ática, 1982

D.5. ELEMENTOS ESTRUTURAIS DO BRASIL COLONIAL

ALENCASTRO, L.F. O Trato dos Viventes: formação do Brasil no Atlantico Sul. São Paulo: Cia das Letras, 2000.

CANABRAVA, Alice P. A grande lavoura In: HOLANDA, Sérgio B. (dir.) Historia Geral da Civilização Brasileira. (2) Vol. 1, Tomo 2. São Paulo: Bertrand Brasil, 1993.

CARDOSO, Ciro F. Escravo ou Camponês ? São Paulo: Brasiliense, 1987.

GORENDER, Jacob. O Escravismo Colonial. 4ª ed. São Paulo: Ática, 1985.

GOULART, Maurício. O problema da Mão de obra: o escravo africano. In: HOLANDA, Sérgio B. (dir.) Historia Geral da Civilização Brasileira. (2) Vol. 1, Tomo 2. São Paulo: Bertrand Brasil, 1993

MARCHAND, Alexander. Do Escambo à Escravidão. 2ª ed. São Paulo: Nacional, Brasília: INL, 1980 (Brasiliana vol. 225)

PIRES, Júlio M. & COSTA, I. Del Nero da. Considerações sobre o capital mercantil-escravista. Estudos Econômicos. 24 (1), jan./abr. 1994.

SALGADO, Graça. (coord.) Fiscais e Meirinhos: a administração no Brasil Colonial. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional/Nova Fronteira, 1985.

D.6. O funcionamento da economia açucareira nordestina nos séculos XVI e XVII

CANABRAVA, Alice P. O Açúcar nas Antilhas. São Paulo: IPE/FEA/USP, 1981.

CASTRO, Antônio Barros 1610: mudanças técnicas e conflitos sociais. Política e Programação Econômica. Dez, 1980.

FERLINI, Vera Lúcia. Terra, Trabalho e Poder: o mundo dos engenhos no Nordeste colonial. São Paulo: Brasiliense/CNPq, 1988

GAMA, Rui. Engenho e Tecnologia. São Paulo: Livraria Duas Cidades, 1983.

MAURO, Frederic. Nova História e Novo Mundo. São Paulo: Perspectiva/EDUSP, 1969.

MAURO, Frederic. Le Portugal, le Bresil et l’Atlantique au XVIIe siècle: étude economique. Paris: Gulbenkian, 1983.

MELLO, Evaldo Cabral de. A Fronda dos Mazombos. São paulo: Cia das Letras, 1995

MELLO, Evaldo Cabral de. O Negócio do Brasil. Rio de Janeiro: Topbooks, 1998.

MELLO, Evaldo Cabral de. Olinda Restaurada: guerra e açúcar no Nordeste (1630-1654). Rio de Janeiro: Forense, São Paulo: EDUSP, 1975.

SCHWARTZ, Stuart B. Segredos Internos: engenhos e escravos na sociedade colonial. São Paulo: Cia das Letras/CNPq, 1988.

D.7. A ECONOMIA DA MINERAÇÃO E O SÉCULO XVIII

BOXER, Charles R. A Idade do Ouro no Brasil. São Paulo: Nacional, 1969.

CANO, W. Economia do Ouro em Minas Gerais. (século XVIII) In: Contexto, n. 3 1977

COSTA, Iraci del Nero da. Fundamentos econômicos da ocupação e povoamento das Minas Gerais In: Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. (24), 1982.

FALCON, J.C. A Época Pombalina: política econômica e monarquia ilustrada. São Paulo: Ática, 1982.

HOLANDA, Sérgio Buarque. Metais e Pedras Preciosas. In: HOLANDA, Sérgio B. (dir.) Historia Geral da Civilização Brasileira. (2) Vol. 1, Tomo 2. São Paulo: Bertrand Brasil, 1993.

LUNA, Francisco Vidal. Economia e Sociedade em Minas Gerais (período colonial). Revista do Instituto de Estudos Brasileiros. (24), 1982.

MAXWELL, Keneth. A Devassa da Devassa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978.

PINTO, Virgílio Noya. O Ouro Brasileiro e o Comércio Anglo-português. São Paulo: Nacional, Brasília: INL, 1979.

SODRÉ, N.W. O Tratado de Methuen In: As Razões da Independência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975.

SOUZA, Laura M. Os Desclassificados do Ouro: a pobreza mineira no século XVIII. São Paulo; Graal, 1982.

ZEMELLA, Mafalda P. O Abastecimento da Capitania de Minas Gerais no Século XVIII. 2ª ed. São Paulo: EDUSP/HUCITEC, 1990.

D.8. A crise do antigo sistema colonial e o período de independência brasileira

COSTA, Emilia Viotti da Introdução ao Estudo da emancipação política do Brasil In: MOTA, C.G. (org.) Brasil em Perspectiva. São Paulo: DIFEL, 1981.

FRAGOSO, João L.R. Homens de Grossa Aventura: acumulação e hierarquia na praça mercantil do Rio de Janeiro (1790-1830). Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1992.

FRAGOSO, João L.R. & FLORENTINO, Manolo. O Arcaísmo como Projeto: mercado atlântico, sociedade agrária e elite mercantil em uma economia tardia, c.1790 – c.1840. 4ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.

GORENSTEIN, R & MARTINHO, L.M. Negociantes e Caixeiros na Sociedade da Independência. Rio de Janeiro, 1993.

MOTA, C.G. (org.) 1822: Dimensões. 2ª ed. São paulo: Perspectiva, 1986.

NOVAIS, Fernando A. As dimensões da independência. In: MOTA, C.G. 1822: Dimensões. 2ª ed. São Paulo: Perspectiva, 1986.

NOVAIS, Fernando A. & MOTA, Carlos G. A Independência Política do Brasil. 2ª ed. São Paulo: HUCITEC, 1996. (Estudos Históricos , 22)

SIDERI, Sandro. Comércio e Poder: colonialismo informal nas relações anglo-portuguesas. Lisboa: Cosmos, Santos: Martins Fontes, 1978.

D.9. A REATIVAÇÃO DA ECONOMIA AGROEXPORTADORA E A POLÍTICA ECONÔMICA IMPERIAL

BARICKMAN, B. J. Um contraponto baiano;açucar, fumo, mandioca e escravidão no Recôncavo, 1780-1860. Rio de Janeiro:Civilização Brasileira, 2003.

DEAN, W. Rio Claro: um sistema brasileiro de grande lavoura. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1977.

DELFIM NETTO, Antonio. O Problema do Café no Brasil. São Paulo: IPE/USP, 1981.

CANABRAVA, Alice P O Algodão em São Paulo, 1861 – 1875. São Paulo, 1984

CANABRAVA, Alice P. A grande lavoura In: HOLANDA, Sérgio B. (dir.) Historia Geral da Civilização Brasileira 6 (Tomo II, volume 4). São Paulo: Bertrand Brasil, 1995.

GRAHAM, R. Grã Bretanha e o Início da Modernização no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1973

GRAHAM, R. Escravidão e Desenvolvimento econômico: Brasil e Sul dos Estados Unidos no século XIX. Estudos Econômicos. vol. 13, n. 1, 1983, p. 223-257.

GRANZIERA, Rui. A Guerra do Paraguai e o Capitalismo no Brasil. São Paulo: HUCITEC, 1979.

GREMAUD, A. P. Das Controvérsias Teóricas à Política Econômica: Pensamento Econômico e Economia Brasileira no Segundo Império e Primeira República. (1850 - 1930). Tese de Doutoramento. São Paulo: IPE-USP, 1997.

LUNA, F.V. & KLEIN, H. Evolução da sociedade e economia escravista de São

Paulo: de 1750 a 1850. Edusp, 2005.

LUZ, N.V. A Luta Pela Industrialização no Brasil. São Paulo: Alfa Omega, 1975

MANCHESTER, A. Apreeminência Inglesa no Brasil. São Paulo: Brasiliense, 1983.

MILLIET, S. Roteiro do Café e Outros Ensaios. 4ª ed. S. Paulo: HUCITEC/INL/Pró Memória, 1982.

MOTTA, J.F. e NOZOE, N. Cafeicultura e Acumulação. Estudos Econômicos 24(2), mai/ago 1994.

PRADO, L.C.D. Comércio exterior e desenvolvimento brasileiro no século XIX. Anais do XX Encontro Nacional da ANPEC, 1992.

SAES, F.A. M. As Ferrovias de São Paulo (1870 – 1940). São Paulo: HUCITEC, Brasília: INL, 1981

SAES,F.A. M. A Grande Empresa de Serviços Públicos na Economia Cafeeira. São Paulo: HUCITEC, 1986.

SILVA, Hélio S. Tendências e características gerais do comércio exterior brasileiro no século XIX Revista de História da Economia Brasileira (1), 1953.

SILVA, S. Expansão Cafeeira e Origens da Indústria no Brasil. São Paulo: Alfa Omega, 1976.

STEIN, Stanley. Grandeza e Decadência do Café no Vale do Paraíba. São Paulo: Nacional, 1961.

D.10. A TRANSIÇÃO PARA O REGIME DE TRABALHO LIVRE

BIEGUELMAN, Paula. Formação Política do Brasil. São Paulo: Pioneira, 1976.

CONRAD, Robert. Os Últimos Anos da Escravatura no Brasil. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1975

COSTA, Emilia Viotti da. Coroas de Glória, Lagrimas de Sangue. São Paulo: Cia das Letras, 1998.

COSTA, Emilia Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. São Paulo: Brasiliense, 1987.

COSTA, Emilia Viotti da. Da Senzala à Colônia 3ª ed. São Paulo: Ed UNESP, 1998.

FLORENTINO, M. & GOES, J.R. A Paz das Senzalas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1997.

LUNA, F.V. & KLEIN, H.S. Escravos e Senhores no Brasil no início do sécuo XIX. Estudos Econômicos. Set/dez, 1990

MELLO, P.C. & SLENES, R. Análise Econômica da Escravidão. In: NEUHAUS, P. (org.) Economia Brasileira: uma visão histórica. Rio de Janeiro: Campus, 1980.

PETRONE, S. Imigração In: HOLANDA, Sérgio B. (dir.) Historia Geral da Civilização Brasileira. São Paulo: DIFEL, 1971.

D.11. A SOCIEDADE E POLÍTICA IMPERIAL

BIEGUELMAN, Paula. Formação Política do Brasil. São Paulo: Pioneira, 1976.

CARVALHO, J.M. Teatro de Sombras. São Paulo: Vértice, Rio de Janeiro: IUPERJ, 1988

COSTA, Emilia Viotti da. Da Monarquia à República: momentos decisivos. São Paulo: Brasiliense, 1987.

FRANCO, Maria S. de Carvalho. Homens Livres na Ordem Escravocrata. São Paulo: IEB, 1969

SILVA, L. O. Terras Devolutas e Latifundio. Campinas: Ed da Unicamp, 1996

SMITH, R. Propriedade da Terra e Transição . São Paulo: Brasiliense, 1990.

https://uspdigital.usp.br/jupiterweb/obterDisciplina?sgldis=REC0416

*

***